Atividades Extra-Muros
Relato da Tragédia da Região Serrana
18 de Janeiro de 2011
Venho fazer um relato da tragédia da região serrana. Sou médico formado há 20 anos, chefe do serviço de Ginecologia da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro e confesso que já passei por vários casos difíceis na minha profissão, achava que nada iria ver pior em minha vida. ERRADO !!!! Na última terça-feira comuniquei aos meus assistentes que estaria subindo para Teresópolis para ajudar no atendimento as vítimas das enchentes, com retorno no domingo. Prontamente vários assistentes colocaram-se a disposição e desta forma no dia seguinte subimos a região serrana com quatro carros abarrotados de medicações de todos os tipos que poderíamos precisar. Aí começou um grande pesadelo vivido por toda a nossa equipe. O que se pode ver "in loco" é uma total devastação de bairros inteiros, muita gente anestesiada pelas perdas materiais e principalmente de entes queridos. Trabalhamos cerca de 14 horas por dia, durante 04 dias, pois havia necessidade grande de ajudar o maior número de pessoas possível. Fizemos o resgate dos tripulantes do helicóptero que caiu no CEASA, sendo este nosso primeiro trabalho, pois havíamos acabado de chegar a base. Vimos muita gente sem as menores condições de continuarem suas vidas, pois haviam perdido muito de seus parentes. A carência de médicos e principalmente de Psicólogos é grande, pois grande também é a área a ser ajudada. Peço, encarecidamente, convoquema todos para não pararem de ajudar as vítimas, pois isso irá durar alguns anos. Que médicos e psicólogos doem um pouco de seus tempos para atenderem a população serrana. O que vi e ouvi das pessoas não irão sair da mente por longos anos de minha vida. Agradeço a todos. De um médico totalmente abatido, porém com muita vontade de ajudar ao próximo, Dr. Silvio Silva Fernandes.